segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A volta de Digimon e a necessidade de bom entretenimento para as crianças

Já não sou criança há algum tempo e, talvez, seja natural eu sentir que os desenhos animados da minha infância eram melhores que os atuais. Saudosismo? Pode até ser um pouco, mas, de fato percebo que a qualidade do que é oferecido para crianças e adolescentes é bem inferior às produções mais antigas. Tenho primos que têm entre 4 e 11 anos e, vez ou outra, tenho a oportunidade de acompanhar o que eles assistem na infância deles. O que eu enxergo são desenhos com histórias pouco elaboradas, rasos, com uma estética estranha e que flertam com a escatologia. Por esse cenário, fiquei curioso quando li notícias sobre a volta de "Digimon Adventure", série que estreou no final dos anos 90 e que, agora, ganha novos episódios pouco mais de 15 anos depois. O motivo? Homenagem? Nostalgia? Modernização da franquia? Confesso que esse último aspecto é o que eu mais temia...
E, qual foi a minha surpresa quando decidi matar a minha curiosidade e, por que não, ceder a uma certa nostalgia, e acompanhar o primeiro episódio dessa nova temporada? Fiquei extremamente bem impressionado com a proposta de "Digimon Adventure Tri", que resgata histórias e personagens clássicos da série com qualidade e inteligência. A nova temporada tem início apenas alguns anos depois do desfecho da segunda temporada, exibida entre 2000 e 2001, a última que ainda conseguiu manter a qualidade antes desses novos episódios, já que as continuações que vieram depois desse segundo ano se mostraram verdadeiros equívocos, justamente, por apostarem em uma "modernização" da história sem levar em conta a proposta inicial.
Levando uma vida normal, os digiescolhidos têm a adolescência como o principal desafio de suas vidas. Mas isso muda quando uma interferência entre o mundo real e o digital permite que os digimons venham a esse mundo e causem caos e destruição. É nesse contexto que acontece a reunião de Tai, Matt, Sora , Izzy, Mimi, TK, Joe e Kari com seus digimons, as criaturas digitais que os ajudaram a salvar os dois mundos nas temporadas passadas. Por um motivo ainda desconhecido, um novo vilão tem interesse no mundo real e nas interferências digitais, que podem continuar trazendo novas ameaças para a população. Esse perigo é acompanhado de perto por agentes de um grupo ainda pouco apresentado na história.
Além do clima de nostalgia já confesso, que pode ser percebido por qualquer um que vivia a infância na época da exibição dos primeiros episódios, "Digimon Adventure Tri" apresentou um entretenimento animado de boa qualidade, como poucas vezes foi feito pelos últimos lançamentos do gênero. A trama é bem amarrada, sem qualquer tentativa de subestimar o público-alvo, e, além de focar na aventura das criaturas digitais, também aposta nos conflitos pessoais dos personagens, que vivem o início da fase adulta e encaram novas responsabilidades.
De forma inteligente, os produtores optaram por deixar a modernização do desenho para os traços e demais aspectos técnicos da produção. O resultado é bonito e harmônico, diferente de muitas animações exibidas na televisão atualmente, que apresentam traços desproporcionais e cores berrantes.
Mostrando preocupação com a história, muito mais do que querer agradar uma nova geração, "Digimon Adventure Tri" resgata uma franquia animada de sucesso com qualidade. Longe de parecer aquele sujeito que diz "no meu tempo era melhor", mas a volta de "Digimon" deixa evidente que há uma lacuna a ser preenchida por produções para crianças que tragam de volta preocupações com conteúdo. Aqueles que apostarem nisso, e os japoneses tem um histórico de bons serviços prestados nessa área, podem fazer a diferença. Além disso, e falando por um lado menos racional, trazer de volta histórias da infância, sempre é bom para nos conectar com a época e a criança que, um dia, cada um de nós foi.

Em tempo: "Digimon Adventure Tri" está sendo exibido no Japão e foi disponibilizado pelo serviços de streaming Crunchyroll para assinantes de países como Estados Unidos, Canadá e Brasil. Não é difícil, no entanto, encontrar os novos episódios na internet. Outros cinco capítulos da nova temporada da série ainda devem ser exibidos em 2016. Ainda não há previsão de exibição em algum canal de televisão aberto ou a cabo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário