domingo, 26 de maio de 2013

Final de The Big C mescla humor e emoção com reflexão sobre a morte

Durante quatro temporadas, os espectadores de "The Big C" puderam acompanhar os estágios de vida de Cathy (Laura Linney) após ela descobrir ter câncer. Raiva, liberdade, coragem, medo, entrega, enfrentamento e aceitação estiveram presentes durante a trajetória da protagonista, que culminou em um episódio final bem-humorado e, ao mesmo tempo, emocionante.
No último episódio da quarta e última temporada, que foi ao ar na segunda-feira (20) nos Estados Unidos, Cathy é obrigada a sair do asilo em que estava internada por vontade própria, já que a protagonista não queria morrer na casa da família. Consciente de que não havia cura para sua doença, ela começa a se preparar para o momento da morte e, até, suplicar para que ele chegue e liberte todos do sofrimento.
Já em casa, e amparada pelo marido Paul (Oliver Platt), Cathy passa a contar com os serviços de uma enfermeira. Ela, então, continua esperando pela morte e, para tornar o momento grandioso e especial, decide criar uma frase, para ser dita em seu último suspiro. "Sorte a minha" é a frase escolhida e repetida pela protagonista em diversas cenas, enquanto ela aguarda seu desfecho.
Por conta da difícil relação que ela e o irmão Sean (John Benjamin Hickey) sempre tiveram com o pai (Brian Dennehy, em participação especial), Cathy pede um momento com ele, para que pudessem resolver suas diferenças. Aproveitando a visita do avô, o filho de Cathy, Adam (Gabriel Basso), decide realizar um dos maiores sonhos da mãe, que não poderá ver o filho formado no ensino médio. A cena, aliás, é uma das mais emocionantes do episódio e de toda a série. A amiga da família, Andrea (Gabourey Sidibe), também começa a ter seu destino desenhado no último episódio, indo morar em Nova York para ser estagiária de um importante estilista.
Com um texto extremamente inteligente, bem-humorado e sensível, "The Big C" foi um êxito do início ao fim. A série mostrou os diversos estágios e dificuldades da vida da protagonista, sempre com um olhar sarcástico e reflexivo sobre o tema. Recheada de cenas marcantes, "The Big C" foi além do drama de uma pessoa diagnosticada com câncer e proporcionou reflexão e observação sobre assuntos como morte, cura, esperança, felicidade, amor, amizade e vida.
Laura Linney esteve impecável ao interpretar Cathy. A atriz soube imprimir humor negro e sarcasmo, quando necessário, e sutileza e emoção nos momentos mais difíceis da personagem. Oliver Platt, John Benjamin Hickey, Gabourey Sidibe e Gabriel Basso estiveram muito bem em seus papéis, proporcionando ótimas tramas paralelas. Os atores Susan Sarandon, Phyllis Somerville e Cynthia Nixon também fizeram participações especiais marcantes.
"The Big C" teve um final sutil e esperado, mas muito comovente. Como na vida real, a morte de Cathy veio quando todos menos aguardavam, sem grandiosidade. Mas, a série deixou uma reflexão positiva, através da frase formulada para o último momento de Cathy. Ao invés do sofrimento e lamento da morte, talvez seja positivo olhar para toda a vida que se teve e dizer: 'Sorte a minha".
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário