quarta-feira, 12 de junho de 2013

O tempo não passou no Largo do Arouche

A Magda continua burra, o Caco continua odiando pobre, a Cassandra continua esnobe e o Vavá continua na "pindaíba". Parece que os personagens do humorístico "Sai de Baixo" jamais saíram do ar e que o Largo do Arouche se manteve o mesmo 11 anos após o fim do programa. Com a mesma atmosfera que marcou esse sucesso, o canal Viva decidiu produzir quatro novos episódios do "Sai de Baixo", para comemorar o aniversário de três anos da emissora. E a empreitada provou que um projeto bem-sucedido do passado pode ser reeditado no presente.
No primeiro novo episódio do programa, que foi ao ar ontem (11), a empregada Neide Aparecida (Márcia Cabrita) ficou rica, após processar uma ex-patroa e exigir seus direitos. Com o dinheiro, ela decide reunir os personagens no antigo apartamento da família, localizado no Largo do Arouche, em São Paulo. Cassandra (Aracy Balabanian) é a primeira que chega para o encontro, após sofrer nas mãos de uma tia muquirana. Vavá (Luiz Gustavo) aparece em seguida, depois de morar todos esses anos na Amazônia.
Magda (Marisa Orth) volta mais burra do que nunca, depois de passar 11 anos vivendo no aeroporto de Cumbica. Já Caco (Miguel Falabella) chega ao Brasil após ficar preso na Dinamarca. Convidados para ficar por um final de semana, os personagens acabam ficando por dois meses no apartamento de Neide. Tentando dar um golpe na ex-empregada, Caco decide aliar-se ao mordomo do apartamento (vivido por Tony Ramos) para roubar a fortuna dela.
O grande trunfo dessa nova leva de episódios é que os roteiristas conseguiram absorver a atmosfera que marcou o programa. O improviso, os erros e a espontaneidade da comédia continuam presentes na volta do humorístico. O elenco estava afiado e deixou o público com a sensação de que o "Sai de Baixo" continuou sendo feito durante esses anos. Marisa Orth ficou com as melhores piadas do primeiro episódio, mas não faltaram bons momentos para o resto dos atores, que fizeram piada com o preço do tomate, a ascensão da classe C e com o deputado Marco Feliciano. A ausência de Cláudia Jimenez e Tom Cavalcante, que interpretavam Edileuza e Ribamar, foi sentida mas, não prejudicou a história.
O "Sai de Baixo" voltou mas, na verdade, parece que nem chegou a sair do ar. O elenco entrosado e a qualidade da comédia apresentada satisfizeram os fãs e já dão a sensação de que os quatro episódios serão poucos para matar a saudade desses personagens tão marcantes da televisão brasileira. E, se o tempo não passou no Largo do Arouche, o público pode ter certeza que boas risadas ainda estão por vir.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário