sábado, 2 de novembro de 2013

Leveza e humor afiado fizeram de Sangue Bom um ótimo divertimento das 19 horas

Bento e Amora: reencontro no fim (Divulgação/TV Globo)
Visto por muitos como uma incógnita ou um desafio, o horário das 19 horas da TV Globo teve bons momentos com "Sangue Bom", novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari que teve seu último capítulo exibido nesta sexta-feira (1). Leveza, humor ácido e afiado, além de ótimas construções de personagens foram as principais razões para o sucesso do folhetim, que terminou com desfechos justos e honestos.
O último capítulo revelou a verdadeira identidade do misterioso sabotador, que cometia crimes para incriminar Amora (Sophie Charlotte). O criminoso era Tito (Rômulo Arantes Neto) que, a mando de Lara (Maria Helena Chira), queria incriminar a protagonista, com a ajuda, também, de Socorro (Tatiana Alvim). Com a revelação, Amora foi libertada da prisão e pode retomar a vida ao lado dos sobrinhos, porém, sem Bento (Marco Pigossi), que decidiu não dar outra chance ao relacionamento com a it-girl.
Após uma passagem de tempo, Bento retoma sua vida sem a amada. Já Amora, começa a fazer terapia, para conter todas as suas frustrações, e leva a vida como professora de inglês para crianças, longe da influência de Bárbara Ellen (Giulia Gam). A mãe adotiva de Amora, aliás, termina sua carreira falida de atriz em um reality show sugestivamente chamada "A Que Ponto Chegamos", ao lado de Tina (Ingrid Guimarães) e Vitinho (Rodrigo Lopez).
Damaris termina feliz ao lado de Lucindo,
como uma líder espiritual (Divulgação/TV Globo)
Já a tresloucada Damaris (Marisa Orth) chega ao final da novela como uma líder espiritual, feliz com o casamento com Lucindo (Joaquim Lopes). Renata (Regiane Alves) refaz sua vida no Rio de Janeiro, enquanto Érico (Armando Babaioff) e Verônica (Letícia Sabatella) reatam o relacionamento. Um final feliz também foi reservado para a Mulher Mangaba (Ellen Roche), que se casa com Nelson (Tarcísio Filho), e para Filipinho (Josafá Filho), que assume um namoro com Xande (Felipe Lima).
Malu (Fernanda Vasconcelos) e Bento também se acertam no final. Eles decidem ficar amigos e, com isso, ela pode cair nos braços de Maurício (Jayme Matarazzo). O redimido Fabinho (Humberto Carrão) e Giane (Isabelle Drummond) também terminaram juntos no último capítulo.
"Sangue Bom" apostou nos conflitos emocionais dos seis protagonistas e essa escolha só se mostrou acertada pela competência dos autores em desenvolver o roteiro, que soube pulverizar o foco e reservar tramas interessantes para todos. Amora e Fabinho, no entanto, foram os grandes destaques entre eles, pois tinham mais nuances dos personagens para trabalhar. Dentre todos os elogios à história, o maior deles, talvez, seja para a forma como os personagens foram apresentados ao público, sem privilegiar o maniqueísmo. Amora, por exemplo, cometia vilanias, mas não era uma vilã. Suas ações eram fruto de traumas do passado e de uma criação. Essa característica permitiu que eles se redimissem no fim, e o desfecho não parecer forçado e incoerente com a história da novela. Tanto Fabinho quanto Amora pagaram por seus erros, mas não deixaram de ser quem eram.
Realista, também, foi o desfecho da história de Bento e Wilson (Marco Ricca). Inimigos durante toda a novela, os dois descobrem-se pai e filho e, no fim, terminam abrindo a guarda para um princípio de paz. Fazendo isso, os autores evitaram o final feliz forçado e mostraram o início da construção de uma relação. Também preciso destacar a última cena da novela: durante um flash mob em frente a um empreendimento da empresária Bluma Lancaster (Xuxa Lopes), Bento avista a sobrinha de Amora e, atraído pela imagem da menina, que é parecida com sua amada quando criança, eles se encontram novamente.
Bárbara Ellen: carreira frustrada e
participando de reality show (Divulgação/TV Globo)
Ajudados pelo roteiro, alguns nomes do elenco souberam aproveitar o trabalho e brilharam. Sophie Charlotte, Marco Pigossi, Humberto Carrão, Marisa Orth, Letícia Sabatella, Giulia Gam, Joaquim Lopes, Marco Ricca, Malu Mader, Deborah Evelyn, Bruno Garcia, Carmem Verônica e Ingrid Guimarães foram os principais nomes, entre outros de um elenco coeso.
Fazendo um balanço, "Sangue Bom" cumpriu com vários requisitos importantes, que já se provaram funcionais para o horário das 19 horas. Bem humorada, a trama cativou com referências a outras novelas e com críticas ao mundo das celebridades de hoje. Ao mesmo tempo, soube dosar comédia e drama, o que conferiu um caráter leve ao folhetim. E, ainda, apresentou personagens bem construídos e não subestimou o espectador. Ponto para Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, que brindaram o público com um divertimento digno de elogios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário