domingo, 16 de março de 2014

Danilo Gentili e Rafinha Bastos fazem mais "show" e menos "talk"

A guerra de audiência entre emissoras de televisão ganhou um novo capítulo, há alguns dias, com as estreias dos talk shows "Agora é Tarde" e "The Noite", apresentados, respectivamente, por Rafinha Bastos e Danilo Gentili. Priorizando a comédia, os dois humoristas buscam conquistar o público com um produto que "bebe da fonte" de clássicos programas da televisão norte-americana, mas, em ambos os casos, um detalhe importante, que poderia enriquecer as atrações, não é bem explorado: a condução das entrevistas.
Apressado, o novo "Agora É Tarde", da TV Bandeirantes, quis estrear primeiro do que a concorrência. Para comandar a atração, a emissora recorreu a Rafinha Bastos para substituir Danilo Gentili, que foi para o SBT "de mala e cuia". Buscando não perder o público fidelizado na primeira temporada, a Band tratou logo de montar uma equipe e reformular o programa. O que se vê no ar, no entanto, é um produto desengonçado, que ainda precisa de muitos ajustes.
O primeiro detalhe, que salta aos olhos, é que o programa não tem a cara do apresentador. Pensado por uma equipe diferente para um apresentador diferente, o "Agora É Tarde" precisava de uma reformulação mais bem pensada para que o formato se ajustasse à personalidade de Rafinha. Mantendo alguns mesmos quadros e integrantes, a atração perde força e, ainda, alimenta as comparações com a temporada anterior, pensada para Gentili. A roteirização e os quadros de humor ainda não encontraram o tom certo, soando sem graça e pouco elaboradas. Brincadeiras bobas e a pouca sincronicidade entre banda (comandado por André Abujamra), elenco (Marcelo Mansfield, Gustavo Mendes e Marco Gonçalves) e apresentador completam o programa.
Contido e aparentemente pouco à vontade, a condução de Rafinha é um ponto que enfraquece, ainda mais, o programa. Prejudicado por ter "pego o bonde andando", ele tem pouco espaço para deixar transparecer sua personalidade e imprimir suas qualidades como apresentador, já vistas em "A Liga". Com os convidados, Rafinha chega a ser monossilábico e repetitivo, além de dar a impressão de estar pouco interessado em quem senta ao seu lado. 
Do outro lado dessa guerra de emissoras está Danilo Gentili, que levou quase toda sua equipe para o SBT. Com os antigos companheiros (a banda Ultraje a Rigor, os humoristas Léo Lins e Murilo Couto, e a assistente de palco Juliana), o apresentador voltou à cena com um produto muito mais bem acabado do que o "Agora É Tarde", em ambas as fases do programa. Com uma equipe em sintonia, o "The Noite" se beneficia da boa relação entre roteiristas e elenco, o que reflete na qualidade do humor e dos quadros que são apresentados ao público, alguns muito divertidos, por sinal. O cenário e a produção do programa são muito bem feitos e um atrativo a mais para a atração que, esteticamente, se aproxima dos similares norte-americanas do gênero, como "Late Show with David Letterman", "The Tonight Show" e "Conan".
Com mais "jogo de cintura" para conduzir as conversas com os entrevistados, Danilo Gentili, entretanto, comete os mesmos erros que Rafinha Bastos. O apresentador não sabe explorar as histórias dos convidados e, muito menos, dar ritmo às conversas, o que torna os bate-papos rasos e desinteressantes. 
Cada qual com suas características, "Agora É Tarde" e "The Noite" priorizam o humor e, bem ou mal, pensam seus quadros para arrancar risadas do público. Mas, em ambos os casos, os programas não sabem tirar proveito das entrevistas e convidados que recebem. Se algum deles aprender a "segurar" as conversas, isso, com certeza, será um diferencial importante para a respectiva atração. Por enquanto, independente de um programa ser melhor do que o outro, é certo dizer que Rafinha Bastos e Danilo Gentili fazem mais "show" e menos "talk" na TV.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. The Noite passa de segunda a sexta, na faixa da meia noite, no SBT. Já o Agora É Tarde, é exibido de terça a sexta também na faixa da meia noite.

      Excluir