segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Volta de The Newsroom é marcada por discussão sobre "bom jornalismo"

Depois de levar ao ar uma reportagem adulterada por um produtor obcecado em transformar um história em verdade, a equipe da rede ACN enfrenta as consequências da farsa e os percalços para reconquistar a credibilidade e a audiência perdida com o fato. Esse é o cenário que a equipe de jornalistas do The News Night enfrenta no início da terceira e última temporada de "The Newsroom", que começou neste domingo (23), no Brasil. 
Inspirado em fatos reais, o primeiro episódio revela os desafios da cobertura jornalística do atentado que ocorreu durante a maratona de Boston, em abril de 2013. Para averiguar os fatos provocados pela explosão de dois dispositivos no evento, a equipe comandada por Will McAvoy (Jeff Daniels) enfrenta uma verdadeira "maratona" na redação para levar os fatos aos telespectadores, que, em certa medida, abandonaram o canal após a farsa da temporada passada, derrubando a audiência da emissora.
Querendo sempre primar pelo "bom jornalismo", a equipe precisa lidar com o desafio de não se deixar influenciar por informações não confirmadas divulgadas nas redes sociais, que podem levar o canal ao erro novamente. Isso cria uma discussão sobre o dilema entre dar um "furo" jornalístico primeiro, antes de todos os outros veículos e sem confirmação oficial, ou apurar bem os fatos e correr o risco de que um outro canal dê a notícia primeiro. O senso de responsabilidade, sempre destacado pela produtora executiva MacKenzie McHale (Emily Mortimer) e por Charlie (Sam Waterston), um dos executivos da ACN, está mais alerta do que nunca neste início de ano.
Além da cobertura do atentato, Will e MacKenzie precisam planejar os preparativos do casamento, muito aguardado por todos. Em meio a isso, ainda há o mistério do contato feito entre uma fonte anônima e Neal (Dev Patel), que pode à rede de notícias uma nova e bombástica história. Por fim, ainda vemos, nesse primeiro episódio, o quebra-cabeça particular de jornalista de economia Sloan Sabbith (Olivia Munn), que acaba descobrindo que o canal está sendo vendido.
Depois de uma boa primeira temporada e uma segunda bem desregular, que alternou bons e maus momentos, "The Newsroom" parece querer resgatar a qualidade nesta última temporada, que só terá seis episódios. Considerada didática e muito idealizada por alguns, a série, na minha opinião, consegue provocar a reflexão sobre a ética e os valores do processo de divulgação de notícias através dos exemplos e das histórias retratadas. O roteiro inteligente, os diálogos bem escritos e as discussões oportunas sobre a influência da internet e das redes sociais no jornalismo também tornam o seriado uma boa pedida.
Lutando contra os "moinhos de vento" da falta de ética, os "quixotes" da ACN lutam com todas as forças pelo "bom jornalismo" e para trazer informação da melhor qualidade para o telespectador, como deveria acontecer em todos os veículos de comunicação. Nessa luta, o público é presenteado com uma boa discussão sobre o tema e um bom seriado sobre os profissionais da área. Agora, é aguardar para saber como será o fim desse telejornal que enfrenta desafios, todos os dias, para informar bem.



THE NEWSROOM (terceira e última temporada)

Quando: a partir de 23 de novembro, todos os domingos

Onde: HBO 

Horário: 21 horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário