sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Discussão sobre jornalismo fica em segundo plano no final de The Newsroom

Em três temporadas, "The Newsroom" acompanhou o dia a dia da redação de um telejornal americano, propondo sempre uma reflexão sobre os aspectos éticos e técnicos do jornalismo. No encerramento de sua trajetória na HBO, a série de Aaron Sorkin focou da vida particular dos integrantes do "The News Night" no último episódio, que foi ao ar na semana passada (14) e será exibido, no Brasil, no próximo domingo (21). 
Depois da traumática morte de Charlie (Sam Waterston), toda a equipe do canal ACN se reúne para o funeral do presidente da emissora. Surpreso com a notícia do falecimento logo que sai da cadeia, depois de ser preso por desacato ao não revelar a fonte que forneceu documentos sigilosos para Neal (Dev Patel), Will McAvoy (Jeff Daniels) revisita suas lembranças com Charlie, como os conselhos dados pelo presidente da ACN quando o âncora do telejornal estava acomodado em sua função. 
Assim como Will, a produtora executiva Mackenzie McHale (Emily Mortimer) também passa a lembrar do contato e da influência de Charlie, quando o mesmo a convidou para assumir o principal telejornal da emissora. Mackenzie ainda está às voltas com a notícia de sua gravidez e com o fato de ser indicada para assumir a presidência da ACN. 
A volta de Neal, que estava foragido desde que o governo americano começou a "caçá-lo" por espionagem, é outro destaque do último episódio da série. O especialista em computação retorna à sede da emissora para retomar o projeto do site e das redes sociais da ACN. O futuro de outros personagens, como Sloan (Olivia Munn), Don (Thomas Sadoski), Maggie (Alison Pill) e Jim (John Gallagher Jr) também são traçados no encerramento do seriado.
Bem e mal criticada durante sua trajetória, "The Newsroom" teve uma interessante (e curta) terceira temporada, retomando boas discussões sobre jornalismo e melhor explorando a vida pessoal dos personagens, ponto este que esteve bagunçado no segundo ano da série. Discussões em torno de sigilo, ética e, até mesmo, sobre a interferência do público no processo jornalístico foram assuntos recorrentes nos últimos episódios. 
Por conta dos poucos episódios que foram produzidos para encerra a série, acredito eu, o desfecho de algumas tramas pareceram ser acelerados demais e mal explorados, criando uma sensação de que a conclusão da história deveria ser feita com mais calma, em mais capítulos. O recurso de apostar em um final aberto, que deixa o espectador livre para imaginar o destino da equipe do telejornal, foi um êxito e mostrou-se uma decisão inteligente dos roteiristas.
Mal compreendida em muitos momentos, pelo fato de utilizar um discurso idealista para proporcionar uma reflexão sobre o bom jornalismo, "The Newsroom" encerra sua trajetória deixando uma sensação de que foi encerrada prematuramente, com outros campos para serem explorados. Quem sabe, no entanto, ela não abra portas para novas séries do gênero, que possam explorar outros olhares sobre a profissão dos jornalistas...

Nenhum comentário:

Postar um comentário