segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Marco Polo estreia grandiosa e com chances de cativar

Se, há alguns anos, qualquer outra plataforma que desafiasse disputar espaço com a televisão era vista como improvável, hoje, alguns desses serviços provam que vieram para ficar e alterar esse cenário. É o caso do Netflix, que estreou, na última sexta-feira (12), "Marco Polo", mais uma série original, desta vez com ares de superprodução épica. 
Baseada em fatos reais, a trama da série gira em torno do mercador italiano Marco Polo (Lorenzo Richelmy), um jovem que reencontra o pai, Niccolò (Pierfrancesco Favino), em Veneza. Juntos, eles seguem explorando a Rota da Seda, trajetos intercontinentais utilizados no comércio do tecido entre a Europa e a Ásia, no século XIII. Ambos chegam ao palácio do imperador mongol Kublai Khan (Benedict Wong), um implacável governante que é descendente direto de Gêngis Khan.
Para poder continuar a explorar a rota de comércio de seda, o pai de Marco oferece o filho em troca do benefício e, impressionado com a habilidade do jovem com as palavras, o imperador aceita o negócio. Assim, Marco passa a ser uma espécie de "prisioneiro de luxo" de Khan, já que, ao mesmo tempo em que fica trancafiado em uma cela, também tem à disposição algumas regalias do império, como, por exemplo, ser treinado por um especialista na arte da luta de espadas.
Enquanto Marco é feito prisioneiro, o imperador mongol tem planos maiores de conquistar o maior número de espaços, como a cidade da chanceler Jia Sidao (Chin Han) e da concubina Mei Lin (Olivia Cheng).
Sem sombra de dúvidas, "Marco Polo" é a série mais ambiciosa e grandiosa do serviço de streaming, já responsável por sucessos como "House Of Cards" e "Orange Is The New Black". A produção do seriado salta aos olhos no primeiro episódio, com cores, objetos e detalhes que situam bem a história e mostram o cuidado dos responsáveis pela direção de arte.As locações e a direção, com uma bonita fotografia, também chamam atenção e são pontos positivos.
Com relação ao primeiro episódio, acredito que a apresentação dos personagens não deixou muito espaço para mostrar, de fato, o desenrolar da trama e quais pontos serão destaque na trajetória do mercador italiano. Apesar de bom, o roteiro recorre a alguns clichês, mas nada que comprometa os méritos do seriado.
Mesmo não entregando muito de sua história no primeiro episódio, "Marco Polo" tem chance de cativar o público com sua trama épica e a qualidade da rica produção. Com certeza, quem já teve tempo de conferir todos os dez episódios na temporada, disponibilizados ao mesmo tempo, já sabe se a missão foi bem executada. Como ainda não pude fazer isso, fico na expectativa de que a série, além da estética, também possa impressionar pelo roteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário