terça-feira, 15 de maio de 2012

A grama do vizinho nem sempre é mais verde

Enquanto um carro deixa o bairro de Wisteria Lane, um caminhão de mudança chega trazendo um novo morador. "Desperate Housewives" terminou domingo (13) nos Estados Unidos relembrando seu início e determinando os destinos das quatro donas de casa que ali habitam.
Depois de passar a temporada toda sendo acusada de matar o padrasto de Gabrielle (Eva Longoria), que abusava dela na infância, Bree (Marcia Cross) foi absolvida do crime após a confissão falsa de Karen McCluskey (Kathryn Joosten). Assim, todas as donas de casa e o marido de Gaby, Carlos (Ricardo Antonio Chavira), o verdadeiro autor do crime, puderam dormir tranquilos.
Além disso, Lynette reatou seu casamento com Tom (Doug Savant) e ficou balançada por uma proposta de emprego feita por Katherine (numa participação especial de Dana Delany). E Susan se tornou avó e decidiu construir uma nova vida longe de Wisteria Lane. Em meio à tudo isso, as donas de casa ainda arrumaram tempo para cuidar da amiga McCluskey, debilitada por conta de um câncer.
Surpreendente (pelo menos para mim!) foi o destino que o criador da série, Marc Cherry, reservou para as quatro protagonistas. Depois de tudo que passaram juntas durante as oito temporadas, as "amigas inseparáveis" se separaram. Lynette aceitou a proposta de trabalho que recebeu e foi viver com a família em Nova York. Gaby, com a ajuda do marido, lançou um site de moda na internet, ganhou um programa de TV e se mudou para a Califórnia. Bree se casou novamente, mudou-se para o Kentucky e se tornou uma política. Susan (Teri Hatcher) é a primeira a deixar Wisteria Lane, mas a única que fica com o destino incerto.
"Desperate Housewives" apresentou uma abordagem interessante sobre o fato de, muitas vezes, não conhecermos profundamente pessoas que estão próximas. A cada temporada, um novo vizinho era inserido no bairro das donas de casa e, com ele, sempre um mistério ou segredo movimentava a trama. Por conta disso, a série andou um pouco desgastada. Mas, principalmente nas duas últimas temporadas, recuperou as origens e continuou apresentando o humor negro e o drama característicos.
O último episódio da série soube dosar os momentos de comédia e drama. A separação das donas de casa foi um recurso bem realista e fez pensar sobre as amizades e como, muitas vezes e por mais sinceras que sejam, elas acabam sendo distanciadas pela vida. A última cena, que trouxe antigos personagens de volta, foi marcante e uma boa lembrança sobre vários momentos da série.
Brincando com a premissa de que "as coisas nunca são o que parecem ser", "Desperate Housewives" encerrou sua trajetória mostrando que nem sempre a grana do vizinho é mais verde que a nossa... Mesmo sendo vistosa e bem cuidada, ela pode esconder segredos obscuros e irreveláveis!

Nenhum comentário:

Postar um comentário