domingo, 27 de setembro de 2015

Capacidade de reinvenção é destaque na volta de How To Get Away With Murder

Quando estreou, no ano passado, "How To Get Away With Murder" apresentou uma história interessante, contada de uma maneira inusitada, mas que deixava pontos de interrogação sobre sua continuidade em possíveis novas temporadas. Como uma série, que parecia ser sustentada por um enredo tão cíclico, seria prolongada se todos os mistérios seriam revelados no fim da primeira temporada? Mas, como a criatividade dos produtores e roteiristas da TV americana parece não ter fim, a série de Shonda Rhimes estreou, na última quinta-feira (24), nos Estados Unidos, respondendo essa pergunta definitivamente.
No primeiro episódio da segunda temporada, vemos os alunos da professora de direito Annalise Keating (Viola Davis) ainda sob os efeitos dos assassinatos do primeiro ano da produção, especialmente de Rebecca (Katie Findlay). Ainda reagindo ao "desaparecimento" da namorada, Wes (Alfred Enoch) apresenta um comportamento arredio e disperso. Michaela (Aja Naomi King) também se mostra revoltada com o comportamento de Laurel (Karla Souza), que enganou a amiga para evitar que a polícia soubesse do envolvimento deles com a morte de Sam (Tom Verica), o marido de Annalise.
Para tentar fazer seus alunos esquecerem do trauma, a professora, de métodos nada tradicionais, se dedica a conseguir um caso para defenderem, chegando a dois irmãos acusados de matar friamente os pais. Só que os personagens ainda estão imersos nos acontecimentos do ano anterior, especialmente em descobrir o que, de fato, aconteceu com Rebecca. Com a ajuda de Frank (Charlie Weber), Annalise descobre que o assassino da namorada de Wes era Bonnie (Liza Weil), que tentava "limpar a bagunça" deixada na primeira temporada.
O episódio ainda introduz uma antiga conhecida de Annalise, a advogada Eve (Famke Janssen), que chega à trama para ajudar na defesa de Nate (Billy Brown), incriminado pela protagonista pela morte do marido, e, também, para revelar uma faceta de Annalise ainda não conhecida pelo público.
E, se o espectador pensava que todas as surpresas ficariam por conta da revelação do assassino de Rebecca e da chegada de Eve, um novo mistério termina coroando o episódio e deixando a curiosidade ainda mais aguçada. Utilizando um recurso semelhante ao da primeira temporada, a série salta no tempo e revela uma cena em que Annalise aparece ensanguentada e agonizando no chão de mansão de seus novos clientes. Quem, agora, é o responsável pelo crime?
Tendo provado sua capacidade de criar tramas instigantes e complexas em outras séries, como "Scandal", Shonda Rhimes e seus roteiristas fazem de "How To Get Away With Murder" o auge desse tipo de trabalho. Apresentada de forma não-linear, sem subestimar o espectador com diálogos explicativos e didáticos, os envolvidos mostram planejamento e, especialmente, talento para criar um entretenimento de alto nível.
Composto por bons nomes, o elenco ainda tem na genial Viola Davis seu grande destaque. Vencedora do Emmy de Melhor Atriz Dramática pela série, Viola, a cada novo episódio, mostra ter construído uma personagem cheia de nuances, que altera força e delicadeza de forma absolutamente coerente. O desempenho da atriz, comedido e explosivo nos momentos certos, é amparado pela potência do seu olhar, que parece "engolir" o público nos momentos certos.
Surpreendente, a nova temporada de "How To Get Away With Murder" promete bons caminhos a serem perseguidos nos próximos episódios. Atualmente, são poucas as séries da TV aberta americana que conseguem ser tão envolventes como essa. Definitivamente, merece ser vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário