sábado, 6 de fevereiro de 2016

Direção e texto mais contidos marcam boa estreia de American Crime Story

Responsável por séries como "Glee", Scream Queens", "Nip/Tuck" e "American Horror Story", o produtor, autor e diretor Ryan Murphy soube imprimir, para o bem ou para o mal, sua marca nas telas. Seja na estética, direção ou no texto, Murphy sempre soou exagerado, algumas vezes, é bem verdade, propositalmente. Por isso, causa um (bom) estranhamento inicial acompanhar o primeiro episódio de "American Crime Story: People v. O.J. Simpson", série que estreou nesta quinta-feira (4), no FX, apenas dois dias depois do lançamento nos Estados Unidos.
Criada em formato de antologia, com uma história diferente a cada temporada, "American Crime Story" traz, nesse primeiro ano, a reconstituição do crime e julgamento de O.J. Simpson, ex-jogador de futebol americano e ator de cinema acusado de matar a ex-esposa e um amigo dela. O crime ocorreu em 1994, em Los Angeles. Nicole Brown Simpson e Ron Goldman foram encontrados mortos a facadas em frente à casa dela.
Após a descoberta dos assassinatos, a polícia entra em contato com O.J. Simpson (Cuba Gooding Jr.) para informar sobre o ocorrido. Durante análise da cena do crime, os policiais seguem um rastro até a casa do ex-jogador, que passa a ser encarado como um suspeito. A investigação do caso vai parar nas mãos da promotora Marcia Clark (Sarah Paulson), que parece não se importar com o status de celebridade do suspeito e se irrita com o tratamento mais ameno dado a ele pela polícia.
Pesquisando a relação entre Simpson e a ex-esposa, a promotora descobre diversas acusações anteriores de violência doméstica contra Nicole, todas abafadas e tratadas com tolerância pelas autoridades. Para se defender das novas acusações, Simpson apela para os serviços do advogado criminalista Robert Shapiro (John Travolta), que, por sua vez, é auxiliado por Robert Kardashian (David Schwimmer), velho amigo do ex-jogador.
Depois de um depoimento inconsistente e de evidências que confirmaram a presença de Simpson na cena do crime, o ex-jogador tem a prisão decretada. O advogado dele, no entanto, pede um prazo para que Simpson se entregue voluntariamente, para, assim, tentar novos recursos de defesa para o cliente. Aproveitando essa oportunidade, Simpson simula uma crise e ameaça suicídio. A tática, no entanto, se revela um plano para que ele fuja da prisão. 
Baseado no livro "Run of his Life", de Jeffrey Tobin, "American Crime Story: People v. O.J. Simpson" começa de forma instigante, a partir de matérias sobre o caso de policiais que espancaram um taxista negro e foram absolvidos. Aparentemente distinta da trama central, a questão racial que inicia a história promete ser retomada e explicada mais adiante. O roteiro, então, se dedica a seguir os passos da investigação e da determinação da promotora em fazer justiça.
Aqui diretor e supervisor de texto, Ryan Murphy parece não ter deixado que a tendência exagerada de seus outros trabalhos predomine em "American Crime Story". Contido na direção do primeiro episódio, o diretor parece ter acertado o tom ideal para a história, apostando na tensão do enredo. O texto, assinado por Scott Alexander e Larry Zakaszewski, também pareceu estar distante da influência do supervisor. Isso não quer dizer, no entanto, que não haja algumas escorregadas, como, por exemplo, a apresentação forçadamente didática de um dos detetives. 
O elenco, em geral, também parece ter ficado longe de exageros, pelo menos nesse primeiro episódio. Os destaques positivos, por enquanto, ficam por conta de Sarah Paulson e Cuba Gooding Jr, este último, aliás, bem melhor do que de costume. O único que parece "um tom acima" do restante é John Travolta, que deixa a impressão de estar "forçando a barra" no drama. 
Com uma boa ambientação da época, "American Crime Story: People v. O.J. Simpson" deixou uma boa primeira impressão, especialmente por mostrar que Ryan Murphy, um dos produtores/diretores/autores mais ativo da televisão, pode conter seus habituais exageros e ser responsável por um produto de qualidade, mais comedido e instigante.



AMERICAN CRIME STORY: PEOPLE V. O.J. SIMPSON (primeira temporada)

Quando: a partir de 4 de fevereiro, todas as quintas-feira

Onde: FX

Horário: 22h30

Nenhum comentário:

Postar um comentário