domingo, 29 de dezembro de 2013

Os melhores e piores de 2013 - Séries

Definitivamente, não dá para deixar as séries de fora da Retrospectiva 2013, afinal, esse foi o ano delas. Já chamado por alguns como a nova "era de ouro" da televisão, este está sendo um dos períodos mais férteis da telinha, que presenteia o público com excelentes argumentos, ótimos atores e produções caprichadas, dignas de fazer inveja a Hollywood. Mas, mesmo com bons seriados, a TV também dá suas escorregadas. Neste ranking, no entanto, ao invés de enumerar as melhores e piores séries do ano, achei mais divertido relembrar o ano televisivo com categorias um pouco diferentes...

MELHOR EMPREENDEDOR - Walter White (Breaking Bad)

Se existisse uma publicação que elencasse os melhores empresários do mercado da contravenção, com certeza, Walter White seria o principal destaque de 2013. De professor de química a chefe de um esquema de distribuição de metanfetamina, Walt viveu altos e baixos durante a exibição de "Breaking Bad", cuja última temporada foi exibida neste ano que chega ao fim. Superando os conflitos com o sócio, as investidas do cunhado policial e a truculência da concorrência, Walter White é merecedor do prêmio de melhor empreendedor, mesmo que tenha se dedicado a negócios escusos. Ao mesmo tempo, foi isso que fez de "Breaking Bad" um dos melhores seriados de todos os tempos.

MELHOR AGENTE DUPLO - Raymond Reddington (The Blacklist)

Tido como um dos bandidos mais procurados do mundo, Raymond Reddington surpreendeu o FBI e a CIA ao se entregar espontaneamente. E fez mais: se ofereceu para ajudar na captura de outros marginais, igualmente perigosos, desde que trabalhasse ao lado da agente Elizabeth Keen. Deixando sua "lista negra" à disposição da polícia, Raymond vence a categoria de melhor agente duplo por agir em nome da lei mas, principalmente, em causa própria.

MELHOR CONTO DE FADAS - Peter Pan e a Terra do Nunca (Once Upon A Time)

É bom que se diga que este não é um conto de fadas convencional... Aqui, Peter Pan é um terrível vilão, que quer roubar o coração de um garoto para ser mais poderoso. Ardiloso, ele ainda consegue lançar uma maldição para aprisionar (de novo!) os personagens de outras histórias em uma realidade forjada por ele. Recriando clássicos infantis, "Once Upon A Time" se destaca por nos fazer enxergar a Rainha Má, o Capitão Gancho, a Branca de Neve e, é claro, o Peter Pan de uma maneira diferente... e igualmente prazerosa.

PIOR DIAGNÓSTICO - Equipe médica do Grey Sloan Memorial Hospital (Grey´s Anatomy)

Estar há dez anos no ar não deve ser fácil. É preciso habilidade e criatividade para prender a atenção do público, sempre ávido por novidades. "Grey´s Anatomy" chegou à décima temporada e vem provando que não sabe lidar com a passagem do tempo. A repetição constante da fórmula que consagrou a série, mesmo com tramas variadas, dá claros sinais de desgaste. Se não souber se reinventar, o seriado corre o risco de jogar fora anos de êxito. Os médicos do Grey Sloan Memorial Hospital receberam, em 2013, o pior diagnóstico possível: talvez esteja chegando a hora de desligar os aparelhos...

MELHOR REVIRAVOLTA - Alicia Florrick (The Good Wife)

Alicia Florrick levantou a poeira e deu a volta por cima em 2013. A advogada surpreendeu neste ano e abandonou a firma em que trabalhou durante quatro temporadas para abrir seu próprio escritório. O novo desafio de Alicia, que desagradou muita gente, foi mais uma prova da coragem da protagonista, que largou a vida de "boa esposa" para trabalhar fora e tomar as rédeas da casa, depois da prisão do marido. Por essa e outras reviravoltas da vida, Alicia Florrick merece ser consagrada campeã da categoria.

MELHOR TELEJORNAL - The News Night (The Newsroom)

Com o propósito de levar a melhor informação ao telespectador, a equipe do The News Night, da rede ACN, enfrentou sérias dificuldades em 2013. Por conta de um produtor antiético, o telejornal levou ao ar uma história falsa sobre a participação do governo americana nos conflitos armados no Oriente Médio. Isso fez com que os jornalistas soassem a camisa para mostrar que as atitudes do produtor não representavam os interesses do jornal. No fim, a qualidade do trabalho da equipe se sobressaiu e o The News Night foi contemplado com o prêmio de melhor telejornal do ano.

MELHOR CANIBAL - Hannibal Lecter (Hannibal)

Ele bem que tenta, mas já não dá mais para esconder. O psiquiatra Hannibal Lecter foi eleito o melhor canibal da televisão em 2013. Imortalizado no cinema, Hannibal ajuda o FBI a resolver crimes que envolvam as mentes malignas de serial killers. Mantendo-se perto da polícia, o psiquiatra também trata a mente perturbada de Will, um dos investigadores da corporação. Assim, bem perto do inimigo, Hannibal torna-se um cidadão acima de qualquer suspeita e pode, ainda, esconder de todos seu ávido apetite por carne humana.

MELHOR SERVIÇO FUNERÁRIO - F.U.I (Pé na Cova)

2013 foi um ano movimentado na Funerária Unidos do Irajá (F.U.I). Russo, Darlene e companhia passaram pelas situações mais absurdas, sempre torcendo para sobrar um defunto para eles enterrarem. Esquisitos, ignorantes e politicamente incorretos, os personagens de "Pé na Cova" fizeram sucesso durante o ano e nos brindaram com momentos hilários. Pelos serviços funerários prestados, a F.U.I merece o lugar no pódio que conquistou.

PIORES HERÓIS - Os agentes da S.H.I.E.L.D. (Agents of S.H.I.E.L.D.)

Comandados por Phil Coulson, os agentes recrutados pela S.H.I.E.L.D. não possuem superpoderes, mas se dedicam a salvar outros super-heróis da exposição pública. Mesmo com alguns bons momentos no primeiro episódios, a aventura desses heróis não convenceu na televisão. A série ficou rapidamente cansativa e provou não ter força para se sustentar. Por conta do fracasso na missão de entreter bem o público, os agentes da S.H.I.E.L.D. ficaram com o posto de piores heróis do ano.

MELHOR VINGANÇA - Amanda Clarke/Emily Thorne (Revenge)

A ilustre moradora dos Hamptons voltou a focar sua vingança contra os Grayson em 2013. Buscando prejudicar Victoria, Emily organizou o casamento do século, para selar sua união com Daniel, o filho de sua inimiga. Com saborosas reviravoltas e bons ganchos, a vingança da protagonista de "Revenge" teve ótimos momentos no ano que passou e ganhou novo fôlego com os primeiros episódios da terceira temporada. A pergunta que fica, a cada dia que passa, é: até que ponto Emily é capaz de chegar em nome de sua vingança?

MELHOR GERENCIADORA DE CRISES - Olivia Pope (Scandal)

Quer abafar algum escândalo, esconder uma traição ou limpar sua imagem pública perante a sociedade? A melhor pessoa para resolver seus problemas é Olivia Pope, a melhor gerenciadora de crises de Washington. Em 2013, ela se viu às voltas com a descoberta da fraude eleitoral que elegeu o presidente dos EUA e descobriu, também, que seu pai é o chefão de uma organização ultra-secreta especializada. Em meio a isso, ela ainda se envolveu com a campanha de uma senadora democrata, que almejava um lugar na Casa Branca. Envolvida profissionalmente com tantos escândalos, é notável que Olivia resolva todos eles com maestria, e isso fez dela a vencedora da categoria.

MELHOR GRUPO DE REFÉNS - Família Sanders (Hostages) 

Em uma conspiração para matar o presidente norte-americano, um grupo comandado pelo agente do FBI Duncan Carlisle mantém refém a família da médica Ellen Sanders, que irá operar o chefe da nação. Enquanto não chega a hora do crime, o grupo se esforça para manter os reféns na "rédea curta". Mas, a imprudência da família faz com que eles tentem, por diversas vezes, fugir. Todas as tentativas, é claro, são frustradas. A família Sanders vence a categoria por criar conflitos e deixar "Hostages" ainda mais interessante.

PIOR PALADINO DA JUSTIÇA - Dr. Paladino (O Dentista Mascarado)

Combatendo crimes e cáries, o Dr. Paladino é o fiasco do ano na seara dos heróis. Suas aventuras para capturar bandidos e fazer rir foram mal-sucedidas e o tão esperado humor não foi bem executado na série. Marcelo Adnet, seu intérprete, parecia engessado no personagem e frustrou as expectativas no seu trabalho de estreia na Globo. A sátira com os personagens de quadrinhos até era bem vinda, mas "O Dentista Mascarado" saiu do ar devendo riso ao público.

- MELHOR DETETIVE - Sherlock Holmes (Elementary)

Com um impressionante capacidade dedutiva e uma mente que faz as conexões mais improváveis, Sherlock Holmes foi destaque em 2013. Depois de descobrir a verdadeira identidade de Moriarty, seu grande inimigo, Holmes se envolveu em novos casos na segunda temporada de "Elementary". Auxiliado pela parceira Watson, o detetive teve que enfrentar, ainda, seus problemas pessoais e resolver a rixa que tem com o irmão. Seus "fantasmas", no entanto, não prejudicam sua genialidade para resolver crimes que ninguém mais é capaz de solucionar.

MELHOR PIOR POLÍTICO - Frank Underwood (House of Cards)

Políticos ruins surgem aos montes mas, em 2013, o pior de todos atende pelo nome de Frank Underwood. O inescrupuloso congressista de "House of Cards" venceu a categoria por seus serviços prestados à terra do Tio Sam. Intrigas, sabotagens, traições estão entre as principais atividades do político que viu sua carreira deslanchar ao ser convidado para ocupar a carreira de vice-presidente americano. Mesmo sendo o pior de todos os políticos no ano, Frank ainda conseguiu ser o melhor. E ele promete não parar por aí...

MELHOR BATALHÃO - Batalhão 51 (Chicago Fire)

Com coragem e determinação, os bombeiros do Batalhão 51, de Chicago, passaram por poucas e boas em 2013. Incêndios, acidentes, quedas e explosões estão entre os trabalhos de salvamentos prestados pelos bombeiros. Mesmo com uma lista de bons serviços, o Batalhão 51 está enfrentando a truculência de uma chefe burocrata, que faz de tudo para fechar o batalhão. Por todas as dificuldades e êxitos, o Batalhão 51 merece ser consagrado vencedor da categoria.

MELHORES ARISTOCRATAS - Família Crawley (Downton Abbey)

Os Crawley já vivenciaram momentos marcantes em "Downton Abbey". Depois da guerra e da gripe espanhola, a família teve que lidar com a repentina morte de Matthew, o herdeiro da fortuna do clã. Na nova Inglaterra do pós-guerra, os aristocratas estão se chocando com o novo estilo de vida da sociedade dos anos 20, onde os muitos empregados das propriedades não são mais necessários e as terras precisam se tornar produtivas, para ajudar na economia local. Com tantas mudanças, os Crawley ainda conseguem manter sua posição social e, com certeza, foram os que tiveram mais classe na TV em 2013.

PIOR PAÍS DAS MARAVILHAS - Once Upon a Time in Wonderland

Com a consagração de "Once Upon A Time", surgiu a ideia de apostar em novos contos de fadas. Assim, mesclando as histórias de Alice No País Das Maravilhas e Alladin, surgiu "Once Upon a Time in Wonderland". Cercada de expectativas, a série frustrou todas elas. Enredo bobo, ganchos pouco interessantes e personagens de pouco carisma são alguns dos problemas do seriado. Seria melhor que essas histórias fossem inseridas no sucesso original de "Once Upon A Time".

MELHOR PSICOSE - Norman Bates (Bates Motel)

O jovem Norman Bates provou, em 2013, os motivos pelos quais ele irá se tornar um dos maiores assassinos da história do cinema. Enfrentando os dilemas da adolescência, o garoto teve de lidar, neste ano, com a influência da mãe e as muitas crises (e crimes) que rondam o Bates Motel, de propriedade da família. Porém, nos momentos em que Norman deixa aflorar seu lado psicótico, ele revela sua verdadeira natureza, que preconiza o famoso assassinato no chuveiro do clássico "Psicose", de Alfred Hitchcock.

MELHOR CANTORA DE AXÉ - Sereia (O Canto da Sereia)

Ivete Sangalo e Cláudia Leite ganharam uma forte concorrente no começo de 2013. Sereia conquistou a Bahia e o país, transformando-se na rainha do axé. Só que a carreira da cantora foi interrompida por um assassino, que premeditou a morte da estrela. A vida pessoal e artística de Sereia deixou o público ligado em "O Canto da Sereia", que tinha ótimos texto, direção e produção. A morte de Sereia só consagrou ainda mais a carreira da artista, eleita a melhor cantora de axé de 2013.

MELHOR ESTUDO CIENTÍFICO - William Masters (Masters of Sex)

O ginecologista William Masters chocou sua época ao tornar-se o pioneiro em um estudo sobre a sexualidade humana. Ao lado da parceira, Virginia Johnson, ele quer revelar todos os mistérios que rondam o sexo. Com nenhum pudor e muito profissionalismo, a dupla chama atenção pelas técnicas usuais que utilizam para levar o estudo adiante. Com "Masters of Sex", William e Virginia marcam época novamente e levam à telinha uma sensacional história de quebra de paradigmas.

PIOR VIÚVA - Marta Walraven (Red Widow)

Marta Walraven passou por dificuldades em 2013. Ela teve a vida virada do avesso após a morte do marido. Além de assumir as rédeas da família, a viúva precisou resolver alguns assuntos inacabados e escusos. Para completar o quadro, os pais e irmãos de Marta fazem parte de um grupo ligado ao crime organizado em São Francisco. O envolvimento de Marta com o mundo do crime, no qual foi envolvida pelo marido e familiares, não empolgou neste ano. O roteiro fraco e com poucos elementos que chamassem a atenção fizeram de "Red Widow" uma série que não vai deixar saudades, além de dar a Marta o prêmio de pior viúva do ano.

MELHOR EMBOSCADA - O Casamento Vermelho (Game of Thrones)

A categoria é a de melhor emboscada, mas também poderia ser de melhor cena. "Game of Thrones" marcou 2013 pela ótima terceira temporada e, ainda, por exibir um dos grandes momentos da TV no ano. Impactante e surpreendente, o "Casamento Vermelho" foi marcado pela morte de personagem centrais da trama, provocando reações de espanto, choque e emoção no público. Uma emboscada inesquecível na luta pelo trono de Westeros que, não foi só a melhor do ano, mas a melhor de muitos anos.

MELHOR LEGISTA - Megan Hunt (Body of Proof)

"Body of Proof" foi cancelada e deixou a legista Megan Hunt desempregada em 2013. Mas, isso não impede de prestarmos uma homenagem à médica pelos serviços prestados. Confiante e competente, ela resolveu casos difíceis e desafiadores durante três temporadas. Saiu do ar injustamente e sem um final digno, mas merece todas as glórias por ser uma legista que deixa os corpos "falarem" e revelarem seus assassinos.

MELHOR AUTOR - Joe Carroll (The Following)

O professor de literatura Joe Carroll vence esta categoria sem escrever uma palavra sequer. Ele contou sua história através de seus assassinatos, fazendo deles sua verdadeira obra de arte. Muito inspirado pelo autor Edgar Allan Poe, ele comete crimes hediondos, que chamam a atenção do agente do FBI Ryan Hardy. Extremamente manipulador, Carroll conquista uma legião de seguidores, todos interessados continuar seu legado. O melhor autor do ano é Joe Carroll, que escreve sua obra com o sangue de suas vítimas.

MELHOR LUTA PELA VIDA - Cathy Jamison (The Big C)

Cathy foi diagnosticada com câncer e viu sua vida mudar da noite para o dia. Lutando por sua vida e pela felicidade da família, a guerreira Cathy teve seu destino traçado na última temporada de "The Big C". Com humor, inteligência e reflexão, a série fez pensar sobre a importância de viver cada dia da vida, aproveitando os bons e maus momentos. Cathy leva o prêmio por emocionar e mostrar que a vida vale a pena, mesmo com todas as suas dificuldades.

PIOR MÃE - Christy (Mom)

Christy é uma garçonete que frequenta os alcoólicos anônimos para se livrar do vício. Ela também luta para ser uma boa mãe, indo contra o histórico familiar. Sua estabilidade emocional é colocada à prova quando sua mãe Boonie aparece para, novamente, se envolver na vida da família. Mas, Christy não venceu a categoria por sua atuação como mãe, e sim porque "Mom" é um completo desastre. Forçada e sem graça, a série não cativa o espectador e deixa a certeza de que Christy é a pior mãe do ano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário