quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Um santo de casa que definitivamente não faz milagre

Se a fé move montanhas, isso eu não sei! Mas, ela foi capaz de mover toda uma cidade da ficção, que acreditava e rezava para um santo milagreiro muito famoso na região. A devoção de um povo pela figura de um homem santo é o mote principal de "Roque Santeiro", trama escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva, e que está em reprise no canal Viva.
Na cidade de Asa Branca, todos conhecem e veneram a figura lendária de Roque Santeiro (José Wilker), um homem que fazia estátuas de santos. Diz a lenda que, durante um ataque do bandido Navalhada (Oswaldo Loureiro) à Asa Branca, Roque tentou proteger a cidade e defender toda a população, mas acabou morto. Já com fama de mártir, a figura de Roque aparece para a pequena Lulu, nas margens do rio da cidade. A menina afirma que, na visão, Roque mandou que ela passasse a lama do rio nas pernas e, assim, estaria curada de uma doença que possuía. Dito e feito! Lulu ficou curada e Roque foi santificado pelo povo de Asa Branca, que passou a cultuar o santeiro.
Asa Branca foi crescendo e se tornou uma cidade que atrai milhares de turistas, todos com o mesmo propósito: rezar e esperar por um milagre de Roque Santeiro! Todo o comércio da cidade vive em função do "milagre". O maior beneficiado é Zé das Medalhas (Armando Bogus), que vende diversos artigos religiosos como santos, velas e imagens de Roque. Quem também tira proveito da fama do "santo" é Sinhozinho Malta (Lima Duarte), o maior fazendeiro da região e que investe muito dinheiro no crescimento de Asa Branca.

 

A história do "milagre" foi se espalhando por todo o país, deixando a cidade muito conhecida, para a alegria do prefeito Florindo Abelha (Ary Fontoura). Tudo ia bem em Asa Branca, até o retorno de seu mais famoso morador: depois de 17 anos, Roque reaparece vivo! O "santo" explica que, na verdade, tudo fazia parte de um golpe que o próprio deu na cidade, Ao invés de impedir Navalhada, Roque roubou o ostensório da igreja do padre Hipólito (Paulo Gracindo) e, ainda, levou o dinheiro que Sinhozinho Malta tinha dado para que ele entregasse aos bandidos. Depois de anos vivendo na Europa, Roque agora estava de volta à Asa Branca, ameaçando desfazer e destruir a imagem do milagre e acabar com a fama que a cidade construiu.
A volta de Roque, além de ameaçar levar à ruína todos os poderosos de Asa Branca, também ameaça a imagem de Porcina (Regina Duarte), a viúva do famoso Roque Santeiro. Na verdade, Porcina nunca havia sido casada com Roque, sequer o conhecia. Mas, ela e Sinhozinho Malta aproveitaram a "morte" dele para criar essa farsa e, com isso, podiam manter o caso deles em segredo. A grande confusão se dá porque, "a viúva que foi sem nunca ter sido" se apaixona por Roque e fica dividida entre ele e Sinhozinho Malta.
"Roque Santeiro" foi exibida originalmente em 1985, na TV Globo, mas era para ter estreado em 1975. A Censura Federal proibiu a exibição da novela, por ela ser baseada na peça "O Berço do Herói", também de autoria de Dias Gomes. Com 20 capítulos já gravados, "Roque Santeiro" foi suspensa e, só voltou ao ar dez anos depois.
Bem humorada e alegre, a trama é uma sátira à existência de mitos e às maneiras de um povo agir diante de uma crença popular. A novela também retrata o coronelismo na figura de Sinhozinho Malta, que detesta ser chamado de coronel, mas manda e desmanda nas autoridades e na cidade. "Roque Santeiro" também expõe os rachas dentro da Igreja Católica, assunto retratado pelas divergências entre o conservador Padre Hipólito e o revolucionário Padre Albano (Claúdio Cavalcanti). O racismo também é um assunto presente: em uma cena envolvendo o desaparecimento dos filhos de Zé das Medalhas, os personagens presentes na cena se mostram preconceituosos quando descobrem que as crianças estavam com um "negro" e pensam o pior, sendo que, na verdade, o homem estava tentando ajudá-las a voltar para casa.

 

Fica difícil definir quais são os detaques de "Roque Santeiro"! Regina Duarte e Lima Duarte estão impecáveis. Ary Fontoura, Armando Bogus, Paulo Gracindo, Yoná Magalhães e Lucinha Lins também estão muito bem. Eloísa Mafalda, interpretando a primeira-dama Dona Pombinha, e Ruy Rezende, que interpreta o Professor Astromar Junqueira, também são destaque. A trama de Astromar, inclusive, é uma das mais divertidas da novela. Todos dizem que, nas noites de quinta-feira, Astromar se transforma em lobisomem e ataca as mulheres de Asa Branca.
"Roque Santeiro" é um clássico da televisão e sua reprise permite que, gerações como a minha, possam ver o por quê da fama da novela. A história é engraçada e a mistura entre ficção e realidade chama a atenção. Os personagens dão show à parte. Uma novela como poucas... não é à toa que ficou tão conhecida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário